sábado, 13 de outubro de 2007

O RAPAZ QUE APRENDEU A VOAR

O Rapaz tem saudades do seu Avô, que pensa ter voado para longe num bonito dia de Outono. É que o Avô, para além de ter colecções fantásticas, tinha também o sonho de um dia aprender a voar. O Rapaz acredita que o conseguiu e decide também ele fazer esta proeza. É então que começa uma grande aventura.

Em O Rapaz que Aprendeu a Voar, o texto de Alexandre Honrado e as imagens de José Miguel Ribeiro transportam as crianças através de um universo de emoções e de sonho.

Um livro carregado de afecto e fantasia da D.Quixote.


Fui ler este livro a uma turma especial e escolhi-o porque a minha visita tinha, naquele dia, também uma razão especial. A C. perdeu a sua mãe, um mês depois de ter ficado também sem pai, na sequência de um trágico acidente de viação.

Escrevi apenas o título no quadro...

O RAPAZ QUE APRENDEU A VOAR

...e choveram ideias sobre o como, o porquê, para quê.

Depois foi a surpresa da ilustração:

A capa...cheia de livros sugeriu a aprendizagem, a descoberta para o vôo.

A guarda... evidencia que a acção tem um tempo próprio.

Depois a leitura da história:

O vôo do avô...

As suas inúmeras colecções... de gravatas, de janelas, de palavras, de ideias...

O vôo do rapaz e a sua colecção...

E como tocou fundo os meninos, suspensos nas minhas palavras... e como a palavra saudade abraçou a C.

Combinámos que eles iam começar uma colecção de palavras na sua turma e que, de vez em quando, abriríamos a caixa para brincar com elas .

Soube depois que a professora lhe sugeriu que voassem sobre uma folha de papel branca e produziram diários de bordo LIIIIIIINDOS!!

Obrigada à Dora por mais um livro para o coração!



1 comentário:

Era uma vez... ou várias vezes.... disse...

Que post tão bonito. Obrigado

Alexandre Honrado