sábado, 22 de setembro de 2007

ANDARILHANDO...

Fui até Beja, cidade bonita e acolhedora, onde há nove anos se reunem "APRENDIZES DO CONTAR".

Chegámos cedo para ouvir os "Mestres"...


DANIEL PENNAC, excelente comunicador, falou-nos do seu "DESEJO DE LER", do não desejo dos seus alunos e de como nasceu "Como um romance".

"O VERBO LER NÃO SUPORTA O IMPERATIVO. É uma aversão que compartilha com outros: o verbo "amar"...o verbo "sonhar"..."




Ana Garcia Castellano encantou porque contou
e, com contos e o sentido que os contos (lhe) nos dão,
falou do seu ofício de narradora.



Ana Margarida Ramos ensina-nos a olhar, vendo e lendo, as imagens dos livros ilustrados sob um ponto de vista novo.






António Mendoza Fillola, não encontrou aqui um público à sua altura. Para uma sala que se foi esvaziando, abordou a questão da interacção texto-leitor numa perspectiva conceptual que, infelizmente, não cativou a audiência.





José Luís Polanco explicou o percurso do grupo PEONZA e a sua necessidade de, após algum tempo de animação da leitura, se impôs "O RUMOR DA LEITURA", analisando a questão recorrente da animação vs promoção.



Um dia cheio e em cheio!!!

E, porque o ambiente em Beja se transfigura com tanta gente criativa e interessante, os locais paravam, entravam e perguntavam:

- Do que se trata?
- Dos livros, das leituras, das histórias...
Impossível esquecer o comentário deste genuíno alentejano:
- Disso da leitura e da escrita nã sei nada!...Ah... mas se gosto de ver tanta mulher bonita!!!!

Sem comentários: